Maratona de Amsterdam 2016

Maratona de Amsterdam 2016

 

Mais uma? Sim. Foi verdade. Mais uma! Logo de cara, eu faço questão de te lembrar: Seja Feliz! Siga Seus instintos! Tenha FÉ ! #Redefinaseuimpossível.

A maratona de Amsterdam foi a minha sexta maratona de 2016 e cada uma das maratonas corridas teve sua história particular! Sabe que eu adoro escrever porque me faz reviver o momento… Cada prova teve seu momento de baixa, seu momento de superação e graças a Deus, o momento de vitória! Vitória para nós, que somos corredores amadores, é o simples fato de chegar ao final e pegar aquela medalha de finisher! Para quem nunca viveu esse momento, pode pensar que é coisa de maluco gastar tanto tempo, gastar dinheiro e “só” ganhar uma medalha de finisher. Os que são corredores sabem que aquele pedaço de metal é o símbolo que representa nossa superação! É a representação do “eu posso”, “eu consigo”! Não depende de quem ganhou a maratona, para cada um de nós, o finisher representa nossa vitória pessoal. Nossa afirmação que podemos realizar o que nos propomos. Nossa alegria!

DCIM100GOPROGOPR1738.

Bem, agora vamos falar especificamente da Maratona de Amsterdam.

Aliás, antes eu preciso contar para você como é particular a cidade de Amsterdam. Primeiro: O local é praticamente plano e claro, a geografia do lugar (por onde andei na Holanda tudo era plano) influencia fortemente nos hábitos, cultura e comércio. Nunca vi tanta gente de bicicleta na minha vida, digo que tinha mais bicicleta por metro quadrado que eu já tinha visto em Berlim! Essa quantidade de bicicletas chega ser complicada, pois as ciclovias são “coladas” na calçada ou em parte da calçada. E o pior, “estacionam” muitas bicicletas no raro espaço que os pedestres têm para caminhar. Correr na ciclovia: não tentei por não ter tido coragem. Definitivamente, teria sido atropelado por uns 50 ou mais ciclistas em um mero quarteirão. Esse fato me complicou para treinar nos dias que antecediam a prova. Tinha que caminhar até o parque para depois correr, ainda bem que eu estava hospedado perto do parque. Finalizando sobre a cidade: o transporte público é perfeito, até para sair do aeroporto pode-se pegar um trem e depois metro, Tran e/ou ônibus até o hotel ou qualquer outro local que queira ir. Fica a dica: taxis são necessários para casos raros. Baixe o aplicativo 9292 e aprenda usá-lo.

 

2016-11-06-photo-00001070

2016-11-06-photo-00001072

 

Agora sim. Vou contar sobre a maratona. Competição praticamente plana, muito bem organizada e que deve crescer ano após ano. O clima em outubro é historicamente instável, no mesmo dia chove, faz frio e calor. Este ano o dia da maratona foi perfeito. A entrega do Kit e a expo (não muito grande) acontecem no mesmo local da largada e da chegada. Legal porque você já pode simular como irá chegar no dia da competição.

dsc04354
Na Expo, entrega do kit

 

A largada principal acontece a partir das 10 horas. Amanheceu às 8h05. Um ponto que definitivamente me atrapalhou foi o fuso horário. São 5 horas a mais e por mais que tentei fazer uma adaptação prévia não tive sucesso! Ou seja, enquanto no Brasil seriam 3h da madrugada, lá eram 8h da manhã e o organismo deveria se comportar adequadamente: tendo despertado plenamente, ter ido ao banheiro etc. O local também é diferenciado porque largamos e posteriormente chegamos de dentro do Olympik Stadium, a emoção aumenta! Estrutura de som, banheiros bem dispostos, nossos amigos e familiares podem assistir das arquibancadas. Muito bom!

 

20x30-amrm0478

A largada acontece por onda conforme o tempo dos atletas. Isso é muito bom, mas pode atrapalhar, por exemplo: eu estava no pelotão que corria entre 3:00 a 3:30. Garanto que quem corre em 3 horas vai mais forte que quem corre em 3:20, por exemplo. Ou seja, estar em um pelotão pode te enganar e te forçar a fazer um início de prova mais forte o que normalmente te leva a uma quebra. Eu já tive essa experiência e me segurei (esse foi um dos meus erros na Disney)! O interessante é que a gente acaba “marcando” algumas fisionomias do pelotão e, se usarmos uma boa estratégia, essa pode ser uma boa referência de ritmo.

20x30-amcs7286

Sobre o percurso: Conforme falei, é praticamente plano. O que me incomodou foram alguns trechos que possuem pavimento tipo “bloquetes”, eu tenho dificuldades para manter equilíbrio enquanto corro e esse fato me incomodou. Tem também os vincos dos trilhos dos trans (transporte público que comentei anteriormente, tipo metro de superfície) requer atenção, pois pode torcer o pé ou pisar em falso. O visual de todo percurso é muito bonito, principalmente quando corremos margeando um canal.

20x30-ambj1433-1

A minha competição foi bem interessante, novamente um aprendizado. Saí e o corpo não quis responder com a velocidade que eu havia me programado. Pernas pesadas. Mas eu estava com boas lembranças das maratonas de SP (julho) e BSB (setembro) e isso me ajudou muito! Resolvi curtir a prova e desligar a cabeça do meu objetivo inicial que era terminar na casa de 3h15. Cantei. Sorri. Brincava com as pessoas. Deu certo! No KM 18, as coisas começaram a fluir, a leseira foi passando e fui encaixando o ritmo que tinha planejado, média de 4min40s por km para menos. Quanto mais a prova evoluía, melhor o corpo respondia! Foi muito bom! Prova progressiva onde terminei forte! Lembram quando falei das fisionomias dos corredores do pelotão? Todos que me passaram estavam ficando para trás e com fisionomia exausta. Tempo final 3h23min, acima do tempo que tinha feito em Brasília (3h20) que tinha percurso e clima muito mais duros. Mas o importante: dever cumprido! Gratidão por estar ali naquele momento! Gratidão por ter recebido a enorme graça de poder correr 6 maratonas, fora outras provas, em 2016. Gratidão por ter feito 3 dessas maratonas fora do meu País. Gratidão por ter corrido a Maratona de Boston em abri! Gratidão pela minha família, pelos amigos, pelo trabalho! Plena certeza que tudo que sou e que posso fazer é graça divina! Pedido pelos que estão juntos comigo nesta caminhada! Pedido para todos termos um 2017 com paz, conquistas e aprendizado.

20x30-amcp11560

20x30-amak2261

20x30-amcd1729

20x30-amcq0660
6 x finisher em Maratonas em 2016

Deus no Comando!

Obrigado!

Maratona – nunca se esqueça dos fundamentos!

Maratona – nunca se esqueça dos fundamentos!

Maratona da Asics City de São Paulo 2016. Essa foi minha quarta maratona do ano e a que obtive o melhor tempo em 2016. Além disso, corri energizado até o final, fiz uma prova alegre e confiante, foi a que mais me senti bem o tempo todo com relação a todas deste ano até agora. Posso afirmar que esse sentimento é o melhor de todos: correr alegre e confiante!

Leia mais

Bittar de volta ao Triathlon

Bittar de volta ao Triathlon

Espero que tenham sentido saudade dos meus textos no blog da Saudável Confraria…..

Hoje eu vou contar para vocês sobre uma prova de Triathlon, na distância meio Ironman ou Ironman 70.3 (medida total em milhas). Essa competição marcou meu retorno ao Triathlon após 2 anos. Vou contar um pouco sobre esse tipo de prova e dar algumas impressões pessoais além de expressar meus sentimentos sobre essa volta.

Leia mais

“Road to Boston 2016” – Semana 20 de 22 (28 de março a 03 de abril)

“Road to Boston 2016” – Semana 20 de 22 (28 de março a 03 de abril)

Semana de consolidar o trabalho realizado e começar a descansar, esperar o momento da batalha, ou melhor, da festa! Considero que a expectativa da chegada do dia da competição é como esperar por uma festa. Só que a gente se prepara muito mais para uma corrida do que qualquer um pode ter se preparado para um evento festivo. Nesta etapa da minha preparação, as próximas semanas serão com menor volume e razoavelmente menor força dispensada, pois está chegando o momento do corpo e da mente descansarem para o dia da maratona.

Leia mais

“Road to Boston 2016” – Semana 17 de 22 (7 a 13 de março)

“Road to Boston 2016” – Semana 17 de 22 (7 a 13 de março)

Cada semana que passa tem algo novo que nos surpreende, não é verdade? Pode ser um fato que percebemos como positivo, uma dificuldade (algo negativo), ou mesmo uma mistura desses acontecimentos. Uma das vantagens de fazer esse semanário é que, ao registrar e tentar passar para o “papel” esses acontecimentos, acabo enxergando o melhor de tudo isso. Já estou sentindo saudades sem nem mesmo ter terminado. Está chegando ao fim e me questiono se contar essas histórias pode ter servido de informação para os leitores. Tem sido muito interessante para mim!

Leia mais

Página 1 de 3123