Os benefícios do jejum intermitente

Ao ouvir a palavra jejum, algumas pessoas já pensam que vão passar fome, sentir fraqueza ou ainda que vão perder massa muscular… Mas isso só acontece em períodos muito prolongados de jejum ou da falta de uma alimentação nutritiva durante o dia. E não é assim que funciona o jejum intermitente programado indicado e orientado por especialistas. Com ótimos resultados, o jejum melhora a resistência à insulina, leva à perda de peso e de gordura corporal, entre vários outros benefícios.

IMG_4405
Dr. Hugo C. Neves fala sobre os benefícios do jejum intermitente noturno

O nutrólogo Dr. Hugo C. Neves explica como é o jejum intermitente que ele sugere: “de 12 a 16 horas, no período noturno, aproveitando a noite de sono. Então, a pessoa programa o horário da sua última refeição (jantar) e depois só vai se alimentar doze horas depois, na primeira refeição do dia seguinte (café da manhã). Mas durante esse período, pode tomar chá, café e, claro, água! Depois de uma a duas semanas, o paciente começa a sentir a diferença. E o jejum dessa forma pode ser feito de maneira contínua, sempre que conseguir”.

Além disso, vale lembrar que hoje em dia já “caiu por terra” (de acordo com novos estudos) que as pessoas precisam se alimentar de 3h em 3h. “Muitos lanches que as pessoas fazem de três em três horas têm excesso de carboidrato (excesso de glicose) que leva ao pico de insulina e à baixa de glicose. Aí vem a fome de novo… Sem contar que o pico de insulina quebra a via de utilizar a gordura como fonte de energia. Assim, seu corpo passa a ficar dependente do carboidrato. E quando você entra nesse ciclo vicioso é difícil sair dele”, explica Dr. Hugo C. Neves.

Os principais benefícios do jejum intermitente são:

– Aumenta a liberação do hormônio do crescimento (melhora a densidade óssea: muito importante para pessoas acima dos 50 anos)

– Aumento de ganho de massa muscular (só para quem faz atividade, claro) devido ao aumento desse hormônio do crescimento

– Autofagia: autolimpeza do organismo. Tudo melhora: o intestino, o rim, a parte mental, os hormônios e até o condicionamento físico.

Depoimento sobre o jejum intermitente

Mesmo em treinamento para uma maratona em outubro, estou experimentado o jejum e já senti esses benefícios. Essa limpeza do organismo é nítida, até a pele melhora e eu reparei que estou com mais leve e com energia para treinar.

A minha adaptação foi super tranquila, pois já procurava jantar mais cedo e evitava comer depois disso, mas antes não davam as 12 horas de jejum. A única diferença é que agora eu controlo esse tempo para fazer o efeito certinho. É como se meu organismo tivesse encontrado um equilíbrio. Durante o dia, faço todas as refeições como de costume sempre de forma saudável e nutritiva. Assim, não há prejuízos como muita gente imagina. E é claro que eu como antes de correr ou praticar outras atividades físicas que faço conforme orientação do Dr. Hugo. Então, nunca senti fraqueza. (Elissama Assis, jornalista e maratonista).

IMG_5311
No último longo (sábado passado), senti mais energia e disposição e até bati um recorde pessoal
IMG_5310
Em busca de mais uma medalha dos 42km195m em outubro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *